Publicidade

A aguda crise econômica vivida pelo Brasil desde 2015, que se agravou nos últimos dois anos, começa, finalmente, a apresentar sinais de melhora. Por isso, conhecer as tendências do mercado imobiliário em 2018 deve ser parte essencial da estratégia de qualquer corretor comprometido em desenvolver um bom trabalho.

Questões como juros mais baixos, queda no desemprego e aumento da confiança do comprador no mercado ajudarão o setor de imóveis a dar uma guinada e restabelecer a sua importância no cenário econômico do país.

Continue lendo e aprenda quais as principais tendências do mercado imobiliário em 2018. Confira!

1. Juros mais baixos

A taxa Selic, principal determinante nos empréstimos de bancos ao consumidor e, consequentemente, impulsionadora na compra de imóveis, já vive a sua maior baixa nominal na história, tendo sido fechada a 7% em 2017.

Para este novo ano de 2018, a previsão é de que caia ainda mais e chegue a 6,75%. Esse cenário contribui bastante para os financiamentos imobiliários e para criar novas alternativas a quem deseja realizar o sonho da casa própria ou adquirir um novo imóvel.

A baixa dos juros foi um dos esforços que o governo fez para reaquecer a economia e encontrar uma forma de retomar o crescimento.

2. Maior facilidade para financiamentos imobiliários

Conforme adiantamos no tópico anterior, os juros baixos contribuem para um cenário mais favorável na aquisição de imóveis. Afinal, estamos falando de um investimento de alto custo e que, na grande maioria dos casos, demanda empréstimos e financiamentos.

Várias instituições privadas já voltaram a flexibilizar as condições de parcelamento e crédito imobiliário e vêm se preparando para esse panorama otimista que começa a se formar em 2018.

Com o governo federal não tem sido diferente, e desde 2017 as novas regras do Programa Minha Casa, Minha Vida, o mais importante na política habitacional do país, têm contribuído para uma inserção de novos compradores no projeto.

A extensão do limite da renda mensal dos beneficiários de R$ 6,5 mil para R$ 9 mil permite não só que mais pessoas participem do programa, mas também que tenham condições de pagar por imóveis de um valor um pouco mais alto. Isso contribui significativamente para o crescimento e diversificação do setor imobiliário para 2018.

3. Queda do desemprego

Tanto a baixa dos juros básicos quanto as medidas de incentivo ao consumo contribuíram para a diminuição do desemprego, que pode fechar abaixo dos 10% em 2018. Com a retomada, ainda que parcial, do real poder de compra do brasileiro, mais vagas foram abertas e mais dinheiro passou a circular.

Pouco a pouco, com mais pessoas em situação estável, maior a chance de isso se refletir em investimentos de alto custo, como a compra de um imóvel. Este é o momento de você, corretor, entender que é hora de arregaçar as mangas e se preparar para essa melhoria no cenário geral que 2018 promete.

4. Crescimento do PIB nacional

É certo que 2017 foi ainda um ano bastante difícil para o Brasil, mesmo com os primeiros indicadores positivos que começaram a aparecer. O crescimento do PIB, previsto em apenas 1% para o ano passado, já aponta uma perspectiva de melhora significativa para 2018, podendo chegar a 2,7%.

Publicidade

Além do crescimento da economia, esse fator traz também maior estabilidade ao país, questão crucial para o ano eleitoral, em que vários interesses estarão em jogo, e que ajuda a fortalecer as previsões otimistas para 2018.

5. Aquecimento da economia nacional

Todos os fatores apresentados até agora levam ao aquecimento da economia nacional, obviamente. Se as pessoas passam a comprar mais, isso contribui para a geração de emprego, e os juros estão mais baixos para obtenção de crédito junto a instituições financeiras, então é de se esperar que tudo isso reflita positivamente no mercado imobiliário.

É de praxe, em diversas economias ao redor do mundo, que o setor da construção civil seja crucial para geração de emprego e renda. No Brasil, não é diferente, e os esforços do governo na baixa de juros e estabelecimento de novas regras para o Programa Minha Casa, Minha Vida, citado anteriormente, são exemplos disso.

Com esse aquecimento, são facilitados tanto o surgimento de novos empreendimentos por parte de construtoras e incorporadoras, quanto a venda dos mesmos aos consumidores, que terão maior poder de compra em uma economia revigorada e aquecida.

6. Consumidores mais confiantes

A formação de um cenário mais otimista e receptivo a compras e financiamentos certamente faz com que os consumidores se sintam mais confiantes no momento de realizar um investimento de alto custo, como a compra de um imóvel.

Em momentos de crise, é muito mais difícil para o comprador comum, de renda baixa ou média, cogitar fazer uma aquisição tão cara. O panorama que começa a se configurar para 2018 traz uma realidade diferente, na qual o consumidor sabe que poderá arcar com os custos a serem assumidos na compra de um imóvel.

Alguns fatores que facilitam isso são:

  • maior estabilidade financeira, com aumento do poder de compra e estabilidade no emprego;

  • maior facilidade para encontrar crédito imobiliário e diferentes formas de financiamento;

  • diversificação dos empreendimentos imobiliários, que atenderão diferentes perfis de consumidores nesse novo cenário;

  • a queda da inflação e os baixos juros básicos permitem que o financiamento não seja tão penoso;

  • os imóveis ainda não restabeleceram totalmente os seus preços normais, o que faz com que as pessoas se apressem para a compra.

Como você pode ver, são muitas as razões para que o consumidor se sinta mais confiante em 2018 e volte a procurar corretores e imobiliárias para realizar a aquisição de seus imóveis. Conforme apresentado no último ponto, o próprio fato de muitas propriedades ainda estarem com um preço abaixo do normal também atrairá muitos compradores que já estão preparados para dar esse importante passo em suas vidas.

É importante que você, corretor, entenda todo esse cenário da maneira mais completa possível, a fim de facilitar o caminho do consumidor até o sonho da casa própria ou da aquisição de um imóvel melhor. Aproveite as informações dadas neste post e vá longe!

Se você gostou de conhecer as tendências do mercado imobiliário em 2018, assine agora mesmo nossa newsletter. Ainda temos muitas outras informações importantes sobre o mercado imobiliário que impulsionarão a sua carreira de corretor!

Publicidade

Publicidade

Sobre o autor

Rede Silvinho Ximenes

Baseada no Know how do empresário mineiro Silvinho Ximenes, referência reconhecida no mercado imobiliário nacional dentro de seus 50 anos de profissão, a Rede Silvinho Ximenes® já é reconhecida como uma das mais admiradas redes de imóveis, formada por corretores autônomos, full service do Brasil.

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This