Publicidade

Se você tem buscado maiores ganhos como profissional e autonomia para desenvolver seu trabalho, ser corretor de imóveis pode ser uma excelente opção.

Muitas pessoas têm considerado essa possibilidade, seja pelos ganhos financeiros que oferece ou mesmo desilusão com a profissão de origem. O Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI), órgão que credencia o corretor de imóveis, afirma que 78% dos profissionais registrados vêm de outras áreas.

O dinamismo de estar em diferentes locais atendendo clientes e apresentando imóveis também é um atrativo da profissão. Aquela velha visão de que para se ter sucesso na vida profissional você precisa estar dentro de um escritório 8 horas por dia já não é mais verdade, e muitos já entenderam isso.

Continue lendo e conheça os pontos cruciais da profissão.

1. Esqueça salário ao ser corretor de imóveis

Não contar com uma renda fixa todo mês é algo que assusta muita gente. Saiba que, se escolher a profissão de corretor, essa poderá ser sua realidade como profissional. Porém, isso não significa falta de dinheiro; na verdade, você pode ganhar muito mais com as comissões do que como assalariado.

Esse contexto exige do corretor de imóveis proatividade, organização e seriedade. Não pode se dar ao luxo de ficar no plantão de vendas esperando os clientes chegarem. É preciso se manter bem informado sobre o mercado e preparado para atender os clientes da melhor forma possível. Só assim conseguirá captar imóveis e fechar negócios.

Publicidade

2. Estude e credencie-se junto ao CRECI

A profissão de corretor de imóveis já é regulamentada pela Lei Federal Nº 6.530, de 12 de maio de 1978. Por isso, você não deve se colocar em risco ao atuar sem o devido credenciamento. 

O curso que habilita o profissional a trabalhar com corretagem é o curso técnico em transações imobiliárias. Nele, o corretor passa por diversas disciplinas que englobam diferentes aspectos da profissão como matemática financeira, língua portuguesa, avaliação imobiliária, noções de informática, direito e legislação, e operações imobiliárias.

Após a conclusão, ele pode credenciar-se junto ao CRECI e atuar legalmente como corretor de imóveis.

3. Atenda às exigências legais da profissão

Recentemente, o capítulo 13 do código civil brasileiro, que justamente define a profissão de corretagem, teve o código 723 alterado, exigindo maior responsabilidade do corretor.

Antes, o profissional era obrigado a informar apenas aquilo que sabia em relação à liquidez e avaliação do imóvel. Hoje, a Lei determina que informe ao cliente todos os aspectos que envolvam a transação, podendo ser punido legalmente por perdas e danos caso omita algo que venha causar prejuízo.

4. Estude mais

Apesar do curso técnico em transações imobiliárias ser o requisito básico para ingressar na profissão, você não precisa se acomodar nesse nível de formação.

Já existe o curso superior em Gestão de Negócios Imobiliários que pode ser uma ótima pedida caso você tenha ambições maiores como corretor de imóveis, ou, quem sabe, até seguir carreira acadêmica formando outros profissionais no futuro.

O céu é o limite na corretagem, e você pode chegar lá começando pelas informações que demos nesse artigo.

Se você gostou dessas dicas, não deixe de assinar nossa newsletter. Temos sempre informações importantes para quem quer ser corretor de imóveis.

Publicidade

Publicidade

Sobre o autor

Rede Silvinho Ximenes

Baseada no Know how do empresário mineiro Silvinho Ximenes, referência reconhecida no mercado imobiliário nacional dentro de seus 50 anos de profissão, a Rede Silvinho Ximenes® já é reconhecida como uma das mais admiradas redes de imóveis, formada por corretores autônomos, full service do Brasil.

Deixar comentário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Share This