Ao que tudo indica, 2018 chega com ótimos prognósticos no setor de compra, venda e aluguel de imóveis. No final do ano passado, já puderam ser percebidos alguns sinais de recuperação da economia. Na verdade, eles estão sendo vistos como fortes tendências do mercado imobiliário — como a diminuição da inflação, redução da taxa Selic e as alterações nas regras do programa do governo federal Minha Casa Minha Vida.

Sendo assim, o corretor de imóveis pode ir se preparando para vender mais, visto que as perspectivas são as melhores possíveis. Até o final do ano passado essas mudanças não demonstraram impacto nas vendas. No entanto, a tendência é que aos poucos vá se obtendo confiança na retomada de crescimento da economia e, consequentemente, do setor de imóveis

Confira as tendências mais significativas do mercado imobiliário que prometem dar mais fôlego e fomentar esse segmento!

1. Redução da taxa Selic

A taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) — que significa taxa básica de juros da economia no Brasil — tem ótimos prognósticos. Essa taxa tem grande impacto sobre o setor financeiro e, consequentemente, nos empreendimentos imobiliários. Por isso, sua redução causa otimismo e mais confiança em investimentos no setor.

Com a queda, é possível a geração de crédito mais acessível para o financiamento imobiliário. Além disso, a caderneta de poupança se torna mais rentável para os investidores, o que contribuirá na produção de mais recursos para o setor. A expectativa dos especialistas é que ela chegue a 8% no início do ano e ainda caia mais.

2. Queda da inflação

Outro indicador que quando está em queda aquece o setor imobiliário é a inflação. O mercado está bastante otimista, com previsão de que ela chegue a 4,3% em 2018. Como ela tem ação direta no poder de compra das pessoas, a previsão é de que os brasileiros invistam, este ano, bem mais nesse segmento.

Com o aquecimento do mercado imobiliário, a tendência é que as incorporadoras se motivem e invistam em novas estratégias para concretizar mais negócios.

3. Mudança nas regras do projeto Minha Casa Minha Vida

Na verdade, a recuperação do setor começou a dar sinais no segundo semestre de 2017. Nesse período, ocorreram mudanças muito importantes nas regras do projeto do governo federal Minha Casa Minha Vida.

O limite de renda foi o maior responsável por causar o início da retomada do setor. Anteriormente, para fazer parte do programa, era exigido um limite de renda de 6,5 mil reais. Hoje, essa renda passou para 9 mil reais, o que abrange um número muito maior de pessoas, aumentando o índice de adesão ao programa.

4. Retomada das construtoras e incorporadoras

Mesmo no período de crise do mercado, algumas incorporadoras e construtoras mantiveram seus lançamentos em dia. Mas, com as boas previsões na área econômica e os consequentes aumentos dos recursos, o que se espera é que haja um aquecimento no setor com muitos lançamentos imobiliários.

5. Perspectiva de queda no índice de desemprego

A expectativa é que a Reforma Trabalhista, que ocorreu em 2017, diminua o índice de desemprego no país em 2018. De acordo com especialistas, a tendência é que ocorra um crescimento nas ofertas de empregos formais com carteira assinada.

O desemprego é o maior responsável pelo distrato de imóveis no Brasil. Com o emprego em alta, o setor só tem a ganhar, indicando um cenário positivo para os corretores de imóveis e imobiliárias.

6. Recuperação da confiança do consumidor é uma tendência do mercado imobiliário

Com a economia em crise, as pessoas pensam muito antes de se comprometerem com qualquer tipo de investimento — principalmente na aquisição de um imóvel, que é a longo prazo. Mas, com a retomada do poder de compra, diminuição das taxas de juros e flexibilidade nas negociações, as coisas mudam um pouco de figura e a tendência é que o consumidor volte a investir.

7. Investimento das incorporadoras em tecnologia

Esse reaquecimento, que começou em 2017 e promete melhorar este ano, motiva as construtoras a apostarem em soluções tecnológicas que valorizam os imóveis e os tornam muito mais atraentes aos olhos do consumidor. Confira as principais ferramentas que serão utilizadas para encantar os clientes!

Realidade virtual

Grandes construturas já estão utilizando a realidade virtual a fim de atrair clientes. Essa nova tendência traz vantagens tanto para as incorporadoras como para quem deseja comprar um imóvel.

Na verdade, trata-se de um programa que recria um ambiente virtual. Com ele, é possível, por meio de um óculos de realidade virtual, que o cliente se coloque nos cômodos do imóvel que esteja interessado em comprar. É possível avaliar tudo, até o tipo de decoração de cada ambiente.

É uma forma de o comprador não precisar fazer muitas visitas ao imóvel, tornando o atendimento a cada cliente bem mais rápido.

Outra inovação é a criação de aplicativos para smartphones, nos quais os imóveis são apresentados de forma virtual. Após fazer o download, o cliente recebe um óculos VR de papelão, com o qual é possível visitar vários imóveis.

Drones

Esses equipamentos estão sendo utilizados também no setor imobiliário. Eles possuem câmeras modernas conectadas que captam imagens de todas as fases do processo de construção. Dessa forma, é possível que quem compra o imóvel na planta possa acompanhar todas as etapas da construção.

Essa tecnologia possibilita ao cliente acompanhar, por meio de vídeos gravados pelos drones, a evolução da edificação. Geralmente são postados nas redes sociais das incorporadoras.

Assinatura digital

A assinatura virtual simplifica bastante o trâmite burocrático de fechamento do contrato de venda de um imóvel. Para isso, é utilizada a criptografia que se vincula a um certificado digital — que produz um documento eletrônico para ser assinado. O que se prevê é que, em um futuro bem próximo, todas as transações imobiliárias serão feitas dessa forma.

Como você pôde ver neste artigo, as tendências do mercado imobiliário para 2018 prometem reaquecer o setor com o fechamento de muitos negócios. Os especialistas estão bastante otimistas quanto à retomada do crescimento da economia este ano e, junto a isso, o consumidor resgata seu poder de compra, podendo investir na sua tão sonhada casa própria.

Então, o que achou deste post sobre as tendências do mercado imobiliário? Ficou mais otimista quanto aos negócios em 2018? Deixe seu comentário sobre as boas perspectivas do setor de imóveis para este ano! 

Sobre o autor

Rede Silvinho Ximenes

Baseada no Know how do empresário mineiro Silvinho Ximenes, referência reconhecida no mercado imobiliário nacional dentro de seus 50 anos de profissão, a Rede Silvinho Ximenes® já é reconhecida como uma das mais admiradas redes de imóveis, formada por corretores autônomos, full service do Brasil.

Deixar comentário.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Share This